AVE, CÉSAR!

Bons tempos aqueles, diria um saudosista: bastava um dirigente dar uma ordem e todo mundo, sem exceção, passava a cumpri-la. Se a pessoa gostava ou não do que havia sido ordenado, era secundário. Ordem dada era ordem cumprida.


Claro, os tempos eram outros. Falo dos primeiros anos da era cristã. O ambiente era o das cercanias do Império Romano, e os que mandavam, assim como os que obedeciam, estavam igualmente debaixo da autoridade de César, o imperador, tido e considerado como nada menos que um deus. Tanto, que quaisquer ameaças ao reino material — o império — assim como ao espiritual — à divindade de César — eram destruídas com o mesmo vigor. Por isso gregos, assírios, fenícios e cristãos eram identificados de uma só forma: como inimigos.


Lembrei disso ao ler, numa manhã dessas, um texto curioso: quando um soldado romano era informado por seu superior que, se seguisse determinada expedição provavelmente iria morrer, a resposta era: “É necessário que eu vá, não é necessário que eu viva.” Bem, ainda há gente assim no mundo, capaz de dar a vida pela causa que acredita. Já vimos pela TV bombas que explodiram atadas ao corpo de fundamentalistas, assim como gente abnegada cuidando de pobres ou doentes pelo resto de seus dias, como empresários bem-sucedidos que fecham suas empresas para se enclausurarem em mosteiros, missionários que se lançam em meio às florestas de países pobres povoadas de guerrilheiros para promover a vida de seus habitantes etc.


Isso é profundidade. Quando estamos assim convictos, alguma coisa resultará daí. A natureza superficial vive dos seus impulsos, impressões, intuições, instintos e também daquilo que a cerca. O caráter profundo, entretanto, olha para além dessas coisas: vê além da dor, enxerga coisas que os comuns mortais nem imaginam existir e crê insistentemente que no reverso do sofrimento e do aparente fracasso há uma oportunidade nova de vencer e de “chegar lá”.


“Ah, pra você a coisa está fácil?”, poderia perguntar-me alguém. Não, mas, enquanto houver comida em casa e dinheiro pra pagar a luz, a água e a internet, vai-se levando. Porque por trás dessa dor e sofrimento angustiantes esconde-se uma realidade nova, que brotará no tempo certo. Porque ninguém cresce na alegria. “Se o grão de trigo cai na terra e não morre, não dará fruto. Porém, se morrer, frutificará.” Estas palavras, ditas há dois mil anos atrás por Jesus, encontram ainda mais sentido nos dias de hoje. É necessário que a semente deixe de ser ela mesma e morra para gerar nova vida. Isso é profundidade. As demais são sementes ressequidas e ressentidas que jazem sobre a terra e que nunca frutificarão.


Tenhamos coragem, portanto! Já vi empresários quebrando e se levantando mais adiante num empreendimento muito melhor e menos sacrificante que o primeiro. E mais lucrativo também... Já vi pessoas que sofreram muito na maior parte de suas vidas e hoje agradecem a Deus por isso, porque foi justamente esse sofrimento que as tornou fortes, sábias e vencedoras. Como há aqueles que têm todos os motivos para saírem pulando de alegria feito cachorro em caminhão de mudança e só murmuram contra Deus e contra a vida. Nunca irão liderar, serão apenas liderados, como o eram os soldados romanos. Porque um verdadeiro líder — seja o líder da família ou da empresa — não fica chorando suas dores pra todo mundo quando sofre. Antes, ergue a cabeça e... vida que segue.


Então, se você é pai ou patrão, pense nisso antes de desabar emocionalmente diante dos que confiam em você. O que você diz naquele momento ficará gravado para sempre na mente das pessoas. Como ensina o antigo provérbio: "Há três coisas na vida que nunca voltam atrás: a flecha lançada, a palavra pronunciada e a oportunidade perdida".


Todos sofremos. Portanto, não se iluda com o aparente bem-estar dos outros; eles também sofre, somente estão nos poupando ao não compartilhar suas dores. Já pensou se todo mundo saísse às ruas gritando quando estivessem sofrendo? Seria o caos. Tomara que não seja você a inaugurar essa nova moda.


Coragem! Muitos de nós têm uma vida inteira pela frente. Então, que ela seja de confiança nas inúmeras e boas promessas de Deus. É assim que se vive em paz. E é assim que se vence.


Até a próxima semana.

0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O tema de hoje é um pouco espinhoso, dado os sentimentos que o povo nutre pelas autoridades brasileiras. Não raro, ouvimos pessoas falando mal do executivo, do judiciário, do legislativo — tanto no ní

Paz, tranquilidade, descanso... Não são coisas que desejamos ardentemente em nossas vidas? Por exemplo, deitar em paz e dormir, levantar com a alma tranquila e tocar a vida? No evangelho de Mateus 11:

A água começava a entrar em ebulição. E eu contemplava pensativo aquela chama azulada aquecendo o bule. O chiado da fervura me fazia pensar na mudança que os corpos sofrem ao serem limpados das suas i