O MENINO DO DEDO VERDE

Tistu era o nome dele. É um nome esquisito para um livro também com um título esquisito, escrito por um francês chamado Maurice Druon. "O Menino do Dedo Verde" narra a história de uma criança que nasceu rica, cujo pai tinha uma fábrica de canhões na cidade de Mirapólvora.


Tistu tinha um dom maravilhoso: bastava seu dedinho tocar o solo e as sementes que estavam dormindo germinassem rapidamente, fazendo com que verdadeiros desertos florissem e arborizassem em questão de horas. E foi assim que clandestinamente entrou na fábrica do pai e colocou sementes de madressilva, buganvílias, roseiras, margaridas, beijinhos e uma infinidade de outras espécies. Depois tocou todas com seu dedo verde. E todas germinaram e cresceram muito.


Veja, muitos de nós têm o polegar verde. É, têm sim! E talvez tenham deixado passar, sem o desejar, muitas situações tristes acontecerem, ou por não se sentirem capazes ou então por não SABEREM ser capazes de transformar aquelas situações em algo melhor.


Por anos a fio eu fui deseperançado, deixando a vida acontecer, e só. Até que a idade avançou e comecei a mudar e também a tentar mudar o ambiente que me cercava. Sentia-me, de início, um pouco confuso e temeroso por tentar ser alguém que ia contra a corrente, e que, como Tistu, fazia brotar bromélias no lugar da tristeza, e assim por diante. Aí, alguém que viu meu esforço e com quem compartilhei essas dúvidas deu-me um livro que falava de uma ave maluca, a qual não se contentava em ficar apenas comendo peixe. Ela não queria apenas isso, mas também voar, e voar, e voar, tudo pelo simples prazer de voar.


Depois desse livro, soltei-me mais. Soltei-me ainda mais ao ler a história de Tistu. Então soltei as amarras de vez ao descobrir a fascinante pessoa que era — e é — Jesus. Sim, muitos diziam-me: "Você é especial, tenha coragem! Crie, inove, não se acanhe, vá em frente e renove a face da terra". E, de fato, eu gostava de ajudar os outros pelo simples prazer de ajudar; já não queria contrariar as leis dos homens pelo simples prazer da rebeldia, e tampouco perder tempo com coisas que não me levavam a nada. Eu tinha sonhos — sim, eu os tinha —, e fui tolo em pensar que eles desapareceriam com a idade. Hoje sonho mais do que antes, principalmente porque, com Jesus, alcancei muito mais do que me propus a sonhar.


Minha vida com Jesus já salvou muitas vidas. Mensagens como esta fizeram muita gente vir até mim dizer que iriam se suicidar ou abandonar a família, ou dar um chute na lata de minhocas e largar tudo. Bem, até hoje não se mataram, não se divorciaram ou desistiram de si mesmos. Mais: não só mudaram de vida como também estão levando muitos outros a mudar. Mas eu também poderia ficar quieto e nada fazer.


Olhe bem para o seu polegar. O que você vê? Doçura que se espalha pelos outros dedos, pelas mãos e pelos braços que se acham prontos para abraçar e acolher? Ou talvez, em vez do polegar, seja o dedo indicador, o qual toca na tela do smartphone ou no teclado para ajudar pessoas necessitadas, aquelas mesmas que você conhece e as quais nunca tomou a coragem de telefonar para incentivar? Ou será que é um dedão ótimo para segurar a colherona que mexe a sopa para os pobres na creche do bairro? Ou então um dedo que adoraria ziguezaguear pelas cordas de um violão para o deleite de muitos doentes nos hospitais ou casas de idosos (ou, talvez ainda, para os de dentro da própria casa)?


Diante de Deus eu não sou nada. Inclusive, Jesus fala que, depois de fazermos bem feitas todas as coisas, é para dizermos: "Somos servos inúteis". Não que o sejamos de fato, mas é para ninguém ficar se achando a última bolacha do pacote ou o gás da Coca. Por isso me vejo sempre como poeira aos pés do Senhor. E não seria por isso — por estar justamente na poeira, rente ao chão — que me vejo em condições mais favoráveis para tocar o solo com meu dedo verde e fazer nascer, do nada, uma porção de situações lindas que estavam apenas esperando meu toque?


Nós fomos feitos à imagem e semelhança de um Deus CRI-A-DOR. Portanto, ponha seu dedinho pra funcionar! Você pode. Você consegue. Use seus talentos. E basta, como Tistu, acreditar que pode. Eu acreditei. Por isso criei este canal Vida Frutífera e hoje estou conversando com você.


Vai firme, Jesus lhe dá o maior apoio. Em João 15:7 Ele disse: "Aquele que permanece em mim dará muito fruto". E aí, vamos tirar a mão do bolso?

24 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

O tema de hoje é um pouco espinhoso, dado os sentimentos que o povo nutre pelas autoridades brasileiras. Não raro, ouvimos pessoas falando mal do executivo, do judiciário, do legislativo — tanto no ní

Paz, tranquilidade, descanso... Não são coisas que desejamos ardentemente em nossas vidas? Por exemplo, deitar em paz e dormir, levantar com a alma tranquila e tocar a vida? No evangelho de Mateus 11:

A água começava a entrar em ebulição. E eu contemplava pensativo aquela chama azulada aquecendo o bule. O chiado da fervura me fazia pensar na mudança que os corpos sofrem ao serem limpados das suas i