OS PÉS DO PRESIDENTE

O tema de hoje é um pouco espinhoso, dado os sentimentos que o povo nutre pelas autoridades brasileiras. Não raro, ouvimos pessoas falando mal do executivo, do judiciário, do legislativo — tanto no nível nacional como no estadual e local —, assim como da polícia etc.


Discordar dessas instituições faz parte da democracia, e sentir raiva dos seus mandos e desmandos faz parte dos nossos sentimentos. Inclusive, os cristãos são fortemente convidados a tudo analisar e a se posicionar diante dos fatos, seguindo o ensinamento do apóstolo Paulo em Romanos 12:2: ‘Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem-se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus’ (NVI).


Não compactuarmos, portanto, com aquilo que nos prejudica é uma atitude santa e necessária. Deus é deus de justiça. Participarmos da vida política ou de passeatas pacíficas cobrando transparência das autoridades ou exigir o cumprimento dos nossos direitos etc. está na constituição. Portanto, não é errado. E podemos até irar-nos contra tudo isso, mas não podemos pecar por causa disso. Não gostar do que aí está e mover as pedras do tabuleiro para que nossos direitos sejam respeitados é coisa legítima, mas não encontramos respaldo na Bíblia para pecar contra as autoridades, lançando sobre elas palavras de maldição, ódio e outras semelhantes.


Para o cristão, o resumo disso tudo é que podemos discordar e nos manifestar de várias maneiras junto aos nossos governantes, mas também devemos orar por eles. Sim, é bem isso que devemos fazer: orar por quem desaprovamos, inclusive pelos inimigos, fazendo o bem a quem nos faz o mal. E o próprio Deus aplicará a sua justiça sobre todos aqueles que são amigos da injustiça. O nosso Pai celestial, que ama e perdoa qualquer pessoa que confesse seus pecados e mude de vida, fala em seis passagens para respeitarmos aqueles que nos governam. Vamos ver cada uma delas.


1 - Em Êxodo 22:28, a Bíblia diz: ‘Não blasfemem contra Deus nem amaldiçoem uma autoridade do seu povo’.


2 - Em Provérbios 8:15,16: ‘Por meu intermédio os reis governam, e as autoridades exercem a justiça; também por meu intermédio governam os nobres, todos os juízes da terra. (Substitua agora a palavra rei por presidente e você já começará a entender.)


3 - Em Colossenses 1:15,16: ‘Ele [Jesus] é a imagem do Deus invisível, o primogênito de toda a criação, pois nele foram criadas todas as coisas nos céus e na terra, as visíveis e as invisíveis, sejam tronos ou soberanias, poderes ou autoridades; todas as coisas foram criadas por ele e para ele’. (Ou seja, Jesus criou tudo, e em tudo pôs ordem. Não existe bagunça ou desordem nos planos de Deus. Portanto, se Jesus criou todos os poderes e todas as autoridades, quem somos nós para detestá-las?)


4 - 1 Timóteo 2:1,2: ‘Recomendo que se façam súplicas, orações, intercessões e ação de graças por todos os homens; pelos reis [entenda-se presidente] e por todos os que exercem autoridade, para que tenhamos uma vida tranquila e pacífica’. (Ou seja, se orarmos por elas, pelas autoridades, teremos uma vida de paz e prosperidade.)


5 - Em Romanos 13:3-6, Paulo faz um discurso sobre quem são as autoridades em Deus. Diz ele: ‘Os governantes não devem ser temidos, a não ser por aqueles que praticam o mal. Você quer viver livre do medo da autoridade? Pratique o bem e ela engrandecerá você, pois ela é serva de Deus para o seu bem. Mas se você praticar o mal, tenha medo, pois ela não porta a espada sem motivo. [A autoridade] é serva de Deus, agente da justiça para punir quem pratica o mal. Portanto, é necessário que sejamos submissos às autoridades, não apenas por causa da possibilidade de uma punição, mas também por questão de consciência’.


6 - Agora é a vez de Pedro falar em sua primeira carta, 2:13: ‘Por causa do Senhor, sujeitem-se a toda autoridade constituída entre os homens; seja ao rei [entenda-se presidente], como autoridade suprema que é, seja aos governantes, enviados por ele para punir os que praticam o mal e honrar os que praticam o bem’.


Bem, aí estão as seis citações bíblicas sobre como tratar as autoridades. Agora... se não oramos por elas e delas não falamos bem, muito cuidado para não falarmos mal, pois em Mateus 12:35 a 37, Jesus nos dá um duro recado: ‘Uma boa pessoa tira do seu bom tesouro coisas boas; mas a pessoa má tira do seu tesouro mau, coisas más. Por isso, afirmo que de toda a palavra fútil que as pessoas disserem, dela deverão prestar conta no Dia do Juízo. Porque pelas suas palavras você será absolvido ou condenado”.


Alguém falou mal de alguém? Terá que responder por isso no juízo final. Portanto, abençoemos e deixemos de amaldiçoar. Quanto mais jogamos pragas em nossos governantes, mais o diabo agirá em suas mentes e em suas decisões, e a coisa só vai piorar para o nosso lado. E depois tem aquele lance que a Bíblia fala sobre condenar os outros: seremos julgados com a mesma medida, com o mesmo rigor que usamos para julgá-los. Ou seja, se a nossa régua para aprovar as pessoas tem apenas um centímetro de largura e por ela quase ninguém passa, Deus a usará para medir-nos no último dia.


Sejamos misericordiosos com os outros e Deus terá misericórdia de nós. Odiemos os outros e Deus... bem, você já sabe. Vamos mostrar humildade em nosso viver, abençoar quem nos faz o mal. Jesus, o filho do Deus vivo, abaixou-se e lavou os pés dos discípulos em um ato de grande humildade. Não foi arrogante nem condenou os apóstolos pecadores — simplesmente os serviu. E depois disse: ‘Assim como fiz a vocês, façam vocês aos outros’. E por respeitar os governates que ele mesmo havia posto no mundo, não os confrontou quando estava sendo condenado por eles, ou seja:

- pelo executivo, representado pelo rei Herodes Antipas;

- pelo legislativo, composto pelos guardiões da Lei, o Sinédrio;

- e pelo judiciário, a cargo do representante de Roma, Pilatos.


Então, por mais que doa, se somos cristãos devemos lavar os pés de todos, ou seja, servi-los, respeitá-los e amá-los como Deus os ama. Note que isso não é um pedido de Jesus, mas uma ordem.


A pergunta que se impõe é: quem erra mais, nós ou as autoridades? E caso elas errem mais, nós podemos condená-las? Jesus disse que é hipócrita aquele que tenta tirar o cisco no olho do outro quando ele mesmo tem um cisco em seu olho.


É fácil amar as pessoas que nos amam, mas não há mérito algum nisso, pois essa camaradagem até os criminosos praticam entre si. Mas, sabemos que é terrivelmente difícil amar aqueles dos quais não gostamos, não aprovamos ou que temos por inimigos. Porém, se Jesus disse que era possível amá-los, então o Espírito Santo confirma e leva os nossos sentimentos ao patamar de Deus. Basta começar a orar por eles e a raiva sairá dos nossos corações, enchendo-o de amor.


E então, vamos lavar os pés do presidente?


Felizes amores por todos aqueles que nos governam, e até a próxima semana.

1 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Paz, tranquilidade, descanso... Não são coisas que desejamos ardentemente em nossas vidas? Por exemplo, deitar em paz e dormir, levantar com a alma tranquila e tocar a vida? No evangelho de Mateus 11:

A água começava a entrar em ebulição. E eu contemplava pensativo aquela chama azulada aquecendo o bule. O chiado da fervura me fazia pensar na mudança que os corpos sofrem ao serem limpados das suas i

Este é um texto que já foi lido à exaustão na internet, e nem mesmo sei se é verdadeiro. Entretanto, não deixa de ser um bom tema pra gente abordar hoje. Diz assim: Em uma reunião de pais numa escola